6 dicas importantes para a gestão financeira do escritório de advocacia

Uma das maiores dificuldades dos advogados é prever com regularidade os rendimentos de honorários e outras remunerações de serviços prestados a seus clientes. A Justiça nem sempre é rápida, e os serviços podem ser muito mais complexos do que pareciam no início. Sem contar, que em meio a tantos casos, processos e clientes pode ser difícil dar a atenção necessária à vida financeira do escritório.

É fundamental, entretanto, deixar as contas em dia. Assim, o profissional garante o lucro de seu trabalho, evita o desequilíbrio financeiro e lida de um jeito mais saudável com as variações das taxas de retorno dos serviços prestados.

Confira abaixo seis dicas valiosas para garantir uma gestão impecável das finanças do seu escritório de advocacia.

Mantenha o fluxo de caixa e evite endividamentos desnecessários

Por mais que os rendimentos sofram variações ao longo do ano, você deve manter sempre um mínimo necessário em conta. Ele deve ser suficiente para pagar despesas fixas, como aluguel, internet, transporte, materiais. Enfim, todos os itens necessários para a execução do trabalho.

Outra forma de colocar isso em prática é ter uma renda constante. Você pode cobrar um valor fixo por acompanhamentos mensais, e até mesmo prestar serviços de consultoria para empresas. Essa última, inclusive, é uma forma de adquirir mais experiência, de forma a se tornar referência em sua área de atuação.

Saiba precificar os seus serviços

O primeiro passo, neste caso, é verificar os parâmetros mínimos da tabela indicativa de preços da OAB em seu estado. Depois, veja quanto cobram seus concorrentes, levando em consideração experiência, formação acadêmica e qualidade do atendimento.

Ao estabelecer o seu preço, valorize seus honorários com cobranças justas e condizentes com o serviço prestado. Jamais aceite valores irrisórios, pensando apenas em receber rápido. Quem garante a valorização da profissão é você mesmo.

Controle e gerencie as finanças

O controle de despesas e rendas deve ser diário. Para facilitar o processo, você pode utilizar aplicativos, como o SageStart, ZeroPaper e o Guia de Bolso.

Registre os honorários recebidos, anote as despesas e planeje-se para controlar o fluxo de caixa. Como já ressaltamos, é fundamental ter um valor fixo disponível para arcar com as despesas já estabelecidas.

Cobranças não devem ser negligenciadas

Por mais que existam contratos assinados e você tenha se certificado sobre a vida financeira dos clientes, ainda assim muitos deles atrasam o pagamento. E isso não pode prejudicar a rotina do seu escritório. Faça cobranças com regularidade e, caso necessário, entre com ações judiciais para receber o que é devido.

Você também deve evitar atrasos de pagamentos

Cumpra com rigor o vencimento de suas despesas como luz, água, internet, aluguel e telefone. Pagar as contas em dia evita endividamentos desnecessários.

Para facilitar o processo, crie uma rotina programada de pagamentos em datas estratégicas. Você pode programar o débito automático de todas elas para o mesmo dia. De preferência para aquela data que você já sabe que vai ter recebido seus honorários.

Regra de ouro: separe a conta pessoal da conta jurídica

Por muitas vezes, trabalhar por conta própria faz com que você confunda os bens do escritório com os de sua vida pessoal. Como qualquer outro empreendedor ou profissional autônomo, entretanto, o advogado também deve distinguir patrimônio pessoal e empresarial. É fundamental para controlar tudo o que recebeu, o que tem que pagar e o quanto lucrou. E, assim, estabelecer novas metas profissionais. Separe um valor fixo do seu rendimento mensal para funcionar como seu salário.

By | 2017-11-13T14:24:27+00:00 novembro 8th, 2017|Escritório, Finanças|0 Comments

Leave A Comment